Você está em
Home > Depoimentos

Lasivia

“Bom, o Rock Feminino foi uma oportunidade incrível pra gente. Saímos da nossa cidade e encontramos uma estrutura incrível. Nos surpreendeu em todos os sentidos. A gente só tem boas lembranças daquele dia. Ainda teve o Clemente que nos anunciou no palco, foi muito legal. Seria uma honra poder voltar a tocar nesse palco e nesse evento, mostrando que meninas podem e conseguem fazer um rock do bom!” (Bruna Lima – Ex-Lasívia/atual OITAVA)


bel gasparotto (19)“Tenho banda desde a adolescência e o Rock Feminino sempre me pareceu um sonho distante, mesmo assim nos inscrevíamos todos os anos. Em 2008 formamos a Vernate e o sonho se realizou, participamos e tocamos no Rock Feminino, ao lado de ícones do Rock. Foi uma experiência incrível, um público memorável e um network com integrantes de outras bandas, que mais pra frente se transformaram em amizades e grandes parcerias de trabalho. Pra mim o Rock Feminino é o evento que valoriza as mulheres e oferece apoio e espaço para mostrar nossos trabalhos, sem preconceito ou desigualdade.” (Mari Segreto, ex-Vernate/atual Pepperies)


2342286342_6ca9e78ce0

“Comecei a tocar com 13 anos, e aos 15 tive minha primeira banda de rock, banda MALT, formada por 3 meninas e um menino! Fomos convidadas para tocar no 1º Rock Feminino, que, incrivelmente teve uma grande repercussão na cidade. Destaque para a organização, o festival trouxe ao longo de diversas edições, muitas bandas, e ao decorrer de cada edição, o festival tomava maiores proporções. Incrível pensar o quanto o festival foi importante para a cena do rock feminino. Geralmente bandas formadas por meninas, não são levadas a sério, devido ao machismo que ainda, existe em torno Rock, porém o festival nos permitiu mostrar que existe sim meninas capazes de tocar, e tocar muito bem! Foram se passando os anos, a banda MALT acabou, mas eu tive o prazer de tocar em diversas edições, com outras bandas. Cada ano o festival apresentava mais atrações, inclusive trouxe uma das minhas bandas preferidas de rock, direto da Inglaterra, Girschool. Estou muito feliz em saber que o Rock Feminino está de volta, e ansiosa para o grande evento; que acrescentou muito para a cultura de Rio Claro. Let’s Rock!!” (Tamyres, ex-MALT/atual Aborn)


5734538482_6ecd9a1415_b“Me lembro como se fosse ontem, logo quando formamos a Sophia, o Rock Feminino já era um festival de grande nome, e bem naquele ano se não me engano em 2011 passamos pela antiga estação de trem em Rio Claro e vimos aquela estrutura linda e palco grande, e nossos olhos já diziam tudo, queríamos estar ali ! Um tempo depois conhecemos a Vivian que nos recebeu com muito carinho e tocamos no nosso primeiro Rock Feminino e foi surreal, daquele momento em diante a Sophia fez parte de vários Rock Feminino nos ajudando a amadurecer como banda, muitas experiências vividas que somos muito gratos pela oportunidade e podemos dizer com certeza que esse para nós sempre foi muito mais que um festival.” (Larissa Melão, Sophia)


4463156172_53d8e273ab_b“O Rock Feminino foi uma grande e maravilhosa experiência! Não dava mais vontade de sair do palco, tudo muito bem feito, com excelentes profissionais e excelente divulgação! Fomos super bem tratadas e a Vivian é uma pessoa incrível! O Rock Feminino fez parte da minha vida e ainda faz! É com muito orgulho que falo e elogio quantas vezes forem necessárias! Parabéns sempre pra Vivian e toda a galera show!” (Erika Mikkie, Hell’o Bitch)


bel gasparotto (30)“Participar do Rock Feminino 2010 foi algo muito importante na trajetória da Pondera, um festival extremamente importante pro rock, para ‘as mulheres no rock!!’ Depois que participei do festival descobri que precisava continuar lutando pelo meu sonho, ter festivais como esse no Brasil é muito importante para nós músicos! Parabéns ao rock feminino e que venham muitos pela frente, vida longa!! RockON” (Priscila, Pondera)


5734640328_782778dfb3_b“Foi um privilégio participar de um festival com essa estética de todas as bandas terem mulheres na formação, conheci muitas bandas novas lá. E como musicista também foi importante por toda a estrutura do festival, foi a primeira vez que toquei com transmissão ao vivo. Rock Feminino é inesquecível.” (Barbara Lamego, ex-Vernate/atual Ménage)

 

 


Você já tocou no Festival Rock Feminino? Mande você também o seu depoimento para: rockfeminino@gmail.com. Conte como foi sua experiência!

Top